De forma geral, as quotas criam vínculos muito fortes entre os emissores e detentores deste instrumento. Já as dívidas conversíveis tornam a relação mais distante, oferecendo vantagens tanto para investidores quanto para as sociedades limitadas que os emitem. Quotistas de sociedades limitadas têm responsabilidade de responder com o patrimônio pessoal em eventuais passivos da sociedade, enquanto que detentores de títulos de dívida não correm este risco. Além disso, quotistas precisam assinar documentação relativa a diversos eventos societários. Para as empresas, seria muito pouco prático ter que colher assinaturas de investidores distantes da administração diária da empresa.