Direito de preferência é o direito de um investidor de manter a sua participação na empresa quando ela vier a fazer novas rodadas de investimento. Como novas rodadas tem o efeito de diluir a participação dos investidores atuais, o direito de preferência garante aos seus detentores a possibilidade de participar de novas rodadas, nos mesmos termos oferecidos aos novos investidores, com uma alocação proporcional a participação deles antes da rodada, sempre com base na participação futura calculada em momento imediatamente anterior à nova rodada de investimento. 


Exemplo: um investidor tem uma participação futura de 5% em uma empresa e tem direito de preferência. A empresa deseja captar 1 milhão de reais através da emissão de novos títulos de dívida conversíveis. O investidor em questão terá o direito manter sua participação de 5% inalterada. Para tal, ele terá que investir o equivalente a 5% da nova rodada (50.000 reais).


​​​​